Curiosidades: Star Wars e a Energia Solar

Portal Solstício Energia

Curiosidades: Star Wars e a Energia Solar


A Death Star de Star Wars coberta com módulos fotovoltaicos pode superar as necessidades globais de energia em 10 vezes

A EOn calculou o número de módulos fotovoltaicos que teoricamente poderiam ser instalados na estação espacial Imperial a partir da popular série de filmes. Concluiu que mesmo uma versão pequena da estação já seria capaz de fornecer energia solar suficiente para abastecer 2,5 bilhões de famílias na Terra

MATÉRIA TRADUZIDA DA PV MAGAZINE – ACESSE O MATERIAL ORIGINAL EM: https://www.pv-magazine.com/2019/12/03/star-wars-death-star-with-pv-modules-could-surpass-global-energy-needs-by-10-times/

O gigantesco sistema fotovoltaico que a China planeja lançar em órbita até metade deste século deverá fornecer vários gigawatts de eletricidade, a serem enviados à Terra na forma de microondas. Em meados da próxima década, os chineses querem testar suas tecnologias com algumas plantas-piloto em escala de megawatts na estratosfera.

No entanto, as ambições da China poderiam ser facilmente alcançadas pelo Império Galáctico da saga Star Wars, de acordo com novos números fornecidos pela EOn. A empresa alemã calculou a quantidade de energia solar que a estação espacial Death Star poderia teoricamente gerar.

Com um diâmetro de 160 km, a enorme nave fictícia oferece 40.000 km2 de superfície em que os módulos fotovoltaicos poderiam ser instalados, se o império usasse o lado que fica de frente para o sol mais próximo. O EOn já removeu o espaço que seria necessário para os eixos de manutenção e ventilação, bem como as defesas da estação de combate.

A empresa concluiu que módulos solares com potência de 171,4 MW por km2 podem ser instalados na superfície da Death Star, para gerar cerca de 6,8 TW (6.800 GW). Se os módulos fotovoltaicos estivessem de frente para o sol o tempo todo, a energia gerada poderia fornecer eletricidade a 2,472 bilhões de residências, assumindo um consumo anual de 2.500 kWh.

Mas isso não é tudo. Em “O Retorno dos Jedi”, a Death Star foi expandida para 900 km de diâmetro. Sob tais condições, poderia produzir surpreendentes 218.000 TWh de eletricidade solar, o que excederia as necessidades de eletricidade da Terra em cerca de 10 vezes.

Os especialistas da EOn recomendaram sabiamente o uso de módulos fotovoltaicos totalmente pretos, a fim de manter a estética original da Death Star.

TECNOLOGIA: Tudo sobre o Rastreados Solar

Conheça o Laboratório de Energias Renováveis da PUC Campinas

Minha empresa pode alugar uma usina?

Petrobras e os painéis flexíveis

Comentários

Comentários