A revisão das Bandeiras Tarifárias

24 maio de 2019

Novas regras de acionamento das Bandeiras Tarifárias

No dia 21 de maio de 2019 a ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica – aprovou uma resolução que estabelece dois importantes fatores para as Bandeiras Tarifárias:

1. As Faixas de Acionamento das bandeiras tarifárias e
2. Os Adicionais que serão cobrados em cada bandeira Tarifária.

 

1. Faixas de Acionamento

As Faixas de acionamento estabelecem quando e qual bandeira será acionada para o próximo mês. A nova regra de acionamento levará em conta o perfil do risco hidrológico (GSF) e passará a refletir exclusivamente a distribuição uniforme da energia contratada nos meses do ano (“sazonalização flat”).

Desta forma os consumidores irão perceber com mais precisão a produção da energia hidrelétrica e a conjuntura energética do sistema.

2. Adicionais das Bandeiras

A proposta aprovada altera o valor das bandeiras tarifárias a partir de 1º de junho. A bandeira amarela passa a R$ 1,50 a cada 100 kWh, já a bandeira vermelha no patamar 1 custará R$ 4,00 a cada 100 kWh, e no patamar 2, R$ 6,00 a cada 100 kWh.

A alteração foi especialmente motivada pelo déficit hídrico do ano passado, que reposicionou a escala de valores das bandeiras.

Mas para que servem as Bandeiras Tarifárias?

As bandeiras te ajudam a entender quando você deve economizar mais para pagar menos. Elas indicam para o consumidor como estão as condições de geração, por exemplo: A bandeira verde representa que estamos com “condições favoráveis de geração”; a amarela representa um “sinal de alerta” e a vermelha significa que estamos com “condições ruins de geração”.

Mas quando a ANEEL faz o reajuste tarifário as tarifas já não é considerado um cenário mais caro para geração de energia?

Na verdade não. De acordo com a ANEEL: “Quando o reajuste é feito, os custos da distribuidora são estimados, considerando um cenário favorável de geração, ou seja, um cenário em que a Bandeira é verde. Aí, se o cenário for realmente favorável, a Bandeira será verde e o consumidor não precisa pagar nada a mais pela energia. Se os custos de geração forem maiores e for necessário acionar as Bandeiras amarela ou vermelha, o consumidor paga as variações do custo de geração por meio das Bandeiras aplicadas. ”

Confira o vídeo da ANEEL!

Você pode ler mais sobre isso na matéria oficial da ANEEL:
ANEEL atualiza metodologia de acionamento das bandeiras tarifárias

Leia também:

Qual o impacto da energia solar fotovoltaica em empresas?

Dicas: como economizar energia elétrica