Mitos da energia solar - capa

Mitos da energia fotovoltaica: esclareça suas dúvidas

14 março de 2017

A energia solar fotovoltaica tem apresentado avanços tanto tecnológicos quanto de popularidade. A cada ano mais sistemas são conectados no Brasil e no mundo, abrindo caminho para um futuro mais limpo e sustentável.
– Hoje temos 8 523 sistemas fotovoltaicos conectados. Nessa mesma época em 2016, eram cerca de 2 500 e em 2015 apenas mil.
– Em sete anos, os preços da tecnologia diminuíram 80%.
– É a energia renovável que mais gera novas posições de emprego.
Enquanto isso, a tecnologia avança para sistemas mais eficientes energeticamente assim como mais resistentes à sombras causadas por árvores e prédios, por exemplo. Existem também estudos que se propõe a trazer novas tecnologias e matérias-primas, mostrando que inovação faz parte desse mercado e ainda há muito espaço para crescer.
Com um mercado tão dinâmico e tais avanços tecnológicos, coisas que talvez fossem verdade a alguns anos atrás, hoje já não são.

Confira nossa lista com cinco mitos sobre sistemas fotovoltaicos.

 

1) O sistema não gera energia no inverno

Esse é um dos maiores mitos da energia solar fotovoltaica. Apesar do ângulo do sol estar mais baixo no céu e os dias serem mais curtos, os sistemas solares podem gerar um significativo valor de energia durante o inverno. Isso acontece porque os paineis usam luz, não calor, para gerar eletricidade.
Além disso, quando a temperatura dos paineis é mais baixa, sua eficiência na geração de energia é maior do que em temperaturas muito altas.

 

2) A tecnologia é muito cara e inacessível

A alguns anos ter um sistema fotovoltaico em sua residência poderia ser totalmente inacessível financeiramente, mas cada vez mais a tecnologia consegue atingir diferentes públicos.
Não só os preços caíram como existem diferentes linhas de financiamento e oportunidades de pagamento que podem atender o cliente comum que gostaria de ter um sistema em sua casa.

 

3) A energia solar não é confiável

Um sistema fotovoltaico pode durar mais de 25 anos sem demandar grandes reparos e manutenções. Eles são produzidos para suportar condições extremas, incluindo queda de pequenos granizos e galhos.
Pela sua confiabilidade, a energia solar é usada em sistemas vitais como boias de navegação, satélites, postes urbanos e rodoviários e similares.

 

4) Minha energia excedente é desperdiçada

A maioria dos sistemas fotovoltaicos são conectados à rede. A energia que não é utilizada no momento da geração vai para a rede elétrica. Isso inclusive diminui as perdas por transmissão!
Um sistema bem dimensionado por produzir mais eletricidade do que necessário durante o dia. Nesse caso, a diferença entre a energia gerada e consumida gera créditos de energia com a concessionária que podem ser abatidos na conta de luz.
Mas em sistemas não conectadas à rede isso continua fazendo parte dos mitos da energia solar fotovoltaica! Se uma casa está localizada em uma área remota ou muito afastada da rede elétrica, um sistema autônomo com baterias pode ser a solução mais prática. Às vezes, sistemas solares isolados são mais econômicos de instalar do que ampliar a rede elétrica, mesmo considerando os custos e manutenção das baterias.

 

5) O sistema dá muito trabalho ao consumidor

Sem peças móveis, sistemas fotovoltaicos conectados à rede (sem baterias) não requerem praticamente nenhuma manutenção. Isto é impressionante, considerando que a vida de útil dada pelo fabricante da maioria dos paineis é de 25 a 30 anos.
No entanto, recomenda-se a inspeção de painéis solares para poeira ou detritos uma vez por ano e limpá-los, se necessário, para garantir a geração ideal de energia. A maioria dos proprietários do sistema solar nunca inspecionam os painéis e no entanto seus sistemas continuam a funcionar bem.

Ainda tem dúvidas sobre a energia solar fotovoltaica? Entre em contato com nossa equipe!

 

Leia também:

Energia Solar tem crescimento de 300% em 2016 no Brasil

O que analisar e considerar na aquisição de um sistema fotovoltaico?

Os avanços da energia solar no último ano